Chocolate: conheça todos os tipos

Aprenda as diferenças entre os chocolates e faça a sua escolha!

tamanho da letra - +

Publicado em 13/03/2013

A Páscoa está se aproximando e  muitas pessoas já começam a ficar preocupadas com a dieta. Entendendo melhor os tipos de chocolates e os seus ingredientes é possível consumir esse alimento sem prejudicar seu emagrecimento.


Há quem se engane imaginando que o chocolate não traz benefícios para à saúde, no entanto, seu consumo estimula a produção de serotonina, hormônio responsável pela sensação de bem estar, ajudando a controlar a ansiedade e depressão. Além disso, por ser fonte de carboidratos, aumenta a disposição e energia para realizamos as atividades do dia-a-dia. Mas, atenção: isso não significa  que o chocolate pode ser consumido à vontade, por isso, moderação é a palavre chave!


A grande maioria dos chocolates é composta por: massa de cacau, manteiga de cacau, sacarose (um tipo de  açúcar) e aromatizantes.


A seguir, conheça um pouco mais sobre os tipos de chocolates, e descubra qual melhor se adapta  à sua dieta:


Chocolate amargo (mínimo 70% cacau): possui grande quantidade de massa de cacau, tem ação antioxidante colaborando para a saúde do coração, e também é composto por manteiga de cacau.


Chocolate ao leite: é composto por massa e manteiga de cacau, leite, leite em pó ou leite condensado e açúcar. Tem menor teor de cacau e maior valor calórico comparado a versão amarga.


Chocolate branco: não leva massa de cacau na composição, composto por grande quantidade de manteiga de cacau além de açúcar e leite. É o mais calórico dos chocolates.


Chocolate com avelã, nozes, amêndoas ou castanhas:  pode ser de chocolate amargo, ao leite ou branco e acrescentado algum tipo de oleaginosas (castanhas, avelãs, nozes, amêndoas). As oleaginosas são fontes de vitaminas e minerais como selênio, vitamina E, manganês e magnésio. Tem ação anti-inflamatória, fundamentais para reduzir a pressão arterial, os níveis de colesterol ruim (LDL) e triglicérides, consequentemente prevenindo o risco de doenças cardiovasculares. Apesar de ser fonte de gorduras benéficas à saúde, são mais calóricos e por isso, o consumo não está liberado.


Chocolate trufado: a casca pode ser de chocolate amargo, ao leite ou branco e para o preparo da trufa é acrescentado creme de leite, que é um produto obtido da nata do leite e contém alto teor de gordura, o que torna o alimento mais calórico e menos nutritivo.


Chocolate crocante: pode ser de chocolate amargo, ao leite ou branco e uma mistura de castanha de caju ou amendoim com açúcar. Ricos em gorduras insaturadas e vitamina E, a castanha e o amendoim ajudam a controlar o apetite além de serem boas fontes de fibras, o que aumenta a saciedade. Por serem fontes de gorduras podem elevar a ingestão calórica diária, por isso devem ter o consumo controlado.


Chocolate Diet: é feito de massa e manteiga de cacau, leite em pó, soro do leite. É uma opção para diabéticos, já que restringe o açúcar. No entanto, essa opção não é menos calórica, já que para manter as características do produto, ocorre acréscimo de gorduras, o que reflete num valor calórico igual ou  em algumas vezes até maior que a versão tradicional.


Chocolate a base de soja: ao invés do leite é utilizado extrato de soja 100% vegetal, não contém lactose, proteína do leite e glúten, sendo especialmente indicados para portadores de doença celíaca e para em casos de intolerância a lactose. Os chocolates à base de soja 
isentos de açúcar também podem ser consumidos por diabéticos. O valor calórico é menor ao do chocolate ao leite e ao diet.


Alfarroba: a alfarroba é um fruto de uma árvore do mediterrâneo, utilizada pela indústria para substituir o cacau na produção de chocolate. Tem apenas 0,7% de gordura e é fonte de minerais como cálcio, potássio, fósforo e vitaminas E, B6 e B12 e ricas em fibras. Não contém cafeína em sua composição e pode ser consumido por diabéticos, por não conter adição de açúcar.


O melhor momento para consumir o chocolate é pela manhã ou à tarde, pois o corpo ainda precisar de energia para o restante do dia. Alguns estudos ainda apontam que consumir  um pedaço pequeno de chocolate amargo (70%cacau) pela manhã ajuda a reduzir a vontade por doce a tarde e também controla a ansiedade.


Por isso, escolha sua opção e aproveite com moderação!




Andréia Manetti Previero
Nutricionista do Dieta e Saúde
CRN3 34975/P