Evite que o seu humor abale a dieta

Às vezes as emoções pedem sabores e texturas bem específicas

tamanho da letra - +

Publicado em 20/10/2011


Qualquer tipo de alteração na rotina pode fazer o humor oscilar: seja por conta do trânsito, do despertador que não tocou, da mancha de café que apareceu na camisa branca e outra lista de incomodações . E é só mudar seu estado de espírito que logo surge aquela vontade incontrolável, e aparentemente sem motivos, de comer doces, comidas incrementadas e até de passar o dia inteiro beliscando. Uma vontade, aparentemente, sem motivos. "A busca por determinado alimento tira a atenção que seria concentrada na emoção", diz a nutricionista Daniela Hueb. A seguir, a especialista relaciona algumas das emoções que resultam em comer compulsivamente.


Fim à tristeza

Quando a felicidade sai de cena, a procura por petiscos provoca a ilusão momentânea de que o sentimento não está ali. "Passar o dia beliscando é uma tentativa de direcionar a atenção a algo que não seja a emoção do momento", explica a nutricionista.


Chega pra lá na ansiedade

Antes de uma entrevista de emprego ou daquele passeio que está sendo programado a dias, a ansiedade bate à porta e a busca por chocolates  e doces suculentos, em geral, cresce. "Eles são fáceis de ingerir e causam tranquilidade momentânea", explica Daniela Hueb.


Passa fora no desânimo

Problemas na empresa, brigas com o namorado (a) e algumas discussões com a família podem fazer o desânimo aparecer. Alimentos coloridos parecem deixar o dia mais alegre quando ele parece estar sem sentido algum. "Essa emoção faz a pessoa buscar, por exemplo, sanduíches grandes e sorvetes com diversas coberturas", explica a nutricionista.




Pontapé no nervosismo

Segundo a nutricionista, se o nervosismo dá as caras, a vontade de comer alimentos crocantes cresce. "Esse tipo de alimento precisa ser mastigado com maior força, tornando-se mais atraente quando a pessoa está nervosa", completa a especialista.


Para não cair na tentação

É uma tarefa difícil seguir o regime  quando a alimentação serve de válvula de escape para o descontrole dos sentimentos. Segundo a nutricionista, organizar o dia a dia é fundamental para não cair na cilada. "Observar o que está causando a alteração de humor e mudar os hábitos lentamente vai ajudar a não ceder às emoções", completa Daniela Hueb.

A seguir, a nutricionista dá algumas dicas para que o humor não sabote a balança.


- Faça da alimentação uma rotina: coma sempre no mesmo horário; caso sinta fome , mesmo tendo se alimentado há poucas horas, espere um pouco e tome um copo cheio de água gelada.

- Crie um diário alimentar: anote nele tudo o que for consumido, a quantidade e o que sentiu em cada momento.

- Planeje lazer para si mesmo: tenha eventos agradáveis.

- Cuidado com o que guarda na despensa: chocolates e doces podem ser uma tentação quando o humor oscilar e a vontade súbita aparecer. "Tenha em mãos doces ou sorvetes em versões light, mas, mesmo assim, não é para abusar", alerta a nutricionista.

- Pratique esportes: a atividade física, ao menos duas vezes por semana, provocará uma sensação de descanso. Se não tiver tempo, separe-a para os finais de semana.