Encontre tempo para se conhecer melhor

Nem todo mundo precisa tirar um ano para pensar na vida

tamanho da letra - +

Publicado em 19/01/2012

Uma história de amor, superação e autoconhecimento é contada no livro "Comer, Rezar, Amar" (Editora Objetiva), escrito pela jornalista americana Liz Gilbert, que relata suas experiências adquiridas ao longo de um ano em três lugares, partes de sua transformação: Itália, Índia e Indonésia.

 

Na história, que acaba de ser adaptada para os cinemas, Julia Roberts interpreta a protagonista Liz que após passar por um divórcio resolve passar um ano inteiro viajando a fim de reencontrar o sentido para a vida. Durante sua peregrinação, ela descobre os prazeres gastronômicos comendo a deliciosa culinária italiana. Em seguida, na Índia, a meditação proporciona amparo para suas aflições. Por fim,encontra o amor na Indonésia ao conhecer Felipe.


Tirar um ano sabático, ou seja, totalmente dedicado ao descanso, para poder mergulhar em uma jornada de autoconhecimento seria perfeito para qualquer pessoa, seja homem ou mulher. Mas, verdade seja dita, a grande maioria das pessoas não pode se dar a esse "luxo". A seguir, especialistas dão ideias para ajudar você a encontrar um tempo para si mesmo, sem ter que deixar todo o resto de lado.


Para começo de conversa o melhor seria elaborar um projeto não tão ambicioso quanto o da protagonista de "Comer, Rezar, Amar". Isso não quer dizer que grandes feitos não devam fazer parte de seus planos, é claro que devem, mas você não pode ficar na inércia e deve pensar de acordo com a sua realidade, enquanto não tira o superprojeto do papel.


"Quando não idealizamos grandes façanhas, tirar um tempo para si pode ser mais viável. O número de minutos ou horas, o dia, tudo isso não pode ser imposto de forma rígida, senão torna-se mais uma obrigação, gerando mais uma angústia pelo não cumprimento", explica a psicóloga Rita Romaro, especialista em aconselhamento clínico. 

 


Na prática

As atividades externas são importantes, pois vivemos em sociedade, mas o que vai possibilitar ou não o "encontro consigo mesmo", é a forma como cada um lida com seus desejos e frustrações. Uma ótima dica para valorizar o seu tempo é preenchê-lo com algo que dê a sensação de produtividade. Para trabalhar o corpo e a mente, praticar uma atividade física pode ser uma grande alternativa. "Procure reservar um tempo para praticar um esporte ao ar livre ou na academia. Desde que a pessoa se proponha a se desligar e curtir o momento, como algo prazeroso e não como uma obrigação", explica a especialista.


Para que o tempo seja bem aproveitado, dedique-se a uma atividade que lhe dê prazer. E não precisa ser nada muito complexo. "A pessoa pode praticar uma atividade lúdica na qual se sinta espontânea. Como, por exemplo, um passatempo - pode ser até uma palavra cruzada, uma pintura ou fazer compras. Cada atividade tem sua válvula de escape e seu reduto de prazer", orienta.


Além disso, programar viagens e passeios com aqueles de quem você gosta pode ser uma ótima válvula de escape para a pressão cotidiana. "Claro que não precisa ser durante um ano inteiro, mas uma viagem de fim de semana de vez em quando ou até mesmo um passeio no parque com a família, pode ter efeitos renovadores", explica a psicóloga Sylvia Sabbato.


E não é só isso. Cuidar da beleza, além de fazer bem para a estética, também faz bem para a saúde mental. Isso vai fazer com que você se sinta com a autoestima elevada.


Entretanto, também não precisa fazer disso uma obsessão, mas sim um hábito saudável. "O importante é estar bem consigo mesmo. Quanto mais contente você estiver com sua própria aparência e com seu interior, mais isto será transmitido exteriormente, pois existem outras formas de comunicação que não só a visual", diz a psicóloga.

 


No papel

Procure parar para organizar suas prioridades. Depois disso valorize-as, independentemente de fatores externos como tarefas de última hora ou pessoas que possam atrapalhar sua convicção. "Pode pensar no que realmente deseja fazer, sem se preocupar tanto com o desejo dos outros", orienta Rita.


Muitas vezes os acontecimentos do dia a dia fogem ao nosso controle e situações ou sentimentos podem ser atropelados por eles. Nessa hora é que se costuma esquecer de olhar para si e a sensação é de confusão. "Tire um tempo para refletir. Tudo parece mais simples, quando se permite sentir tristeza ou alegria", diz a psicóloga.


Sem dúvida que a imensa quantidade de tarefas na maioria das vezes impossibilita a realização de todas elas. No entanto, outra vilã muito poderosa é a desorganização, que além de atrapalhar os planos, ainda vem acompanhada de irritação e frustração. "O problema é que muita gente faz as tarefas certas na hora errada ou então gasta muito tempo com atividades desnecessárias", é o que diz o especialista em produtividade e organização do tempo, Christian Barbosa. 

 


A velha listinha

Para começara a se organizar melhor, tente adotar o hábito de anotar tudo. "Adote novamente o hábito de escrever o que precisa ser feito nos próximos dias e planeje a execução. Confiar seus compromissos apenas na memória não é uma maneira recomendável para cumpri-los no prazo correto", explica o especialista em organização.
Tente listar suas tarefas e calcular o tempo que levará para cada uma delas. Fique atento para não elaborar uma lista muito grande e seja fiel a real possibilidade de realizá-las de acordo com o tempo que terá disponível. "A dica é começar com pouco tempo de tarefas e depois expandir gradativamente para adquirir esse hábito", revela Christian.